Vídeo mostra drama de Cormier após descobrir que perdeu revanche; veja

Mais um importante capítulo da história do MMA foi escrito no último sábado (29), quando Jon Jones de fato se credenciou como um dos maiores nomes das artes marciais mistas de todos os tempos ao nocautear Daniel Cormier. No entanto, simultaneamente à reconquista de ‘Bones’, ‘DC’, que até então vinha sendo um campeão irretocável, viveu minutos de drama ainda no octógono. E em vídeo gravado pela ‘UFC TV’, o ex-detentor do cinturão aparece desnorteado e inconformado com o desenrolar da disputa, e só não abandona o cage porque Dana White, o presidente do UFC, o convence do contrário. 

Até o momento em que foi nocauteado, no terceiro round de uma luta programada para até cinco assaltos, Cormier mostrava força para competir de igual para igual contra Bones, e talvez isso explique sua frustração ao perceber que não foi páreo novamente para aquele que ainda é seu único algoz no esporte – após um chute alto que culminou com uma sequência violentíssima de socos. E foi justamente partir desse momento que DC viveu minutos de drama. 

Nitidamente desnorteado e sem reação segundos após ‘Big John’ McCarthy, o árbitro central do combate, encerrar a luta, Cormier finalmente conseguiu forças para se levantar, ainda que tenha precisado de ajuda, e então percebeu que havia sido derrotado. E com as emoções à flor da pele, o ex-campeão se demonstrou indignado com a interrupção. Tal insatisfação fez inclusive com que ele tentasse deixar o octógono por duas vezes, e na última precisou ser contido por Dana White, cartola que segurou seu braço e lhe disse algumas palavras que o fizeram repensar sua atitude.

Confira abaixo o vídeo do drama vivido por DC (ou clique aqui):

Ex-campeão do Ultimate, Jon Jones terá a chance de reconquistar seu título no próximo sábado (29) quando fará a revanche com Daniel Cormier no UFC 214. Em seus nove anos de carreira, 'Bones' já passou pelas situações mais diversas que um lutador poderia vivenciar, alternando desde a glória do título com uma condenação por um acidente de carro. Por isso, a Ag. Fight te mostra os 10 momentos mais marcantes da carreira do americano. A começar pelo triunfo sobre o Maurício 'Shogun' que lhe rendeu o título dos meio-pesados (93 kg), quando se tornou o mais jovem da história a ocupar este posto – Diego Ribas
Logo em sua segunda defesa se cinturão, Jones mostrou que vinha para ficar no MMA. Ele enfrentou Lyoto Machida, ex-campeão da divisão, e finalizou o brasileiro de forma brutal ainda no segundo round, deixando o carateca desmaiado no tablado em cena que se imortalizou no octógono – Diego Ribas
Mas não é apenas de momentos positivos que a carreira do americano ficou marcada. Em 2015, ele bateu seu carro e fugiu da cena sem prestar socorro a uma mulher grávida, que se machucou na colisão dos veículos. Graças a esse crime, o atleta foi preso e posteriormente punido com a perda do cinturão - Diego Ribas
Já não bastasse o primeiro problema com a polícia, Jones foi preso novamente no ano seguinte por violar a sua liberdade condicional – decorrente de seu julgamento por atropelamento - enquanto participava de um 'racha'. Na ocasião, ao negar ter violado as leis, o atleta desacatou o policial que o abordou - Reprodução/TMZ
Mas foi mesmo no final de 2014 que Jones deu as primeiras amostras mais graves de que poderia vir a ter sérios problemas fora do octógono. Em dezembro daquele ano, Jon Jones foi flagrado no exame antidoping surpresa para o uso de cocaína. Após o resultado, ele dormiu uma noite em uma clinica de reabilitação - Diego Ribas
Naquele mesmo final de 2014, nasceu uma das principais rivalidades da história do UFC. E o marco dessa nova inimizade foi uma coletiva de imprensa em que Jones chegou às vias de fato e trocou socos com Daniel Cormier antes deles serem separados por seguranças no Hotel Cassino MGM - Diego Ribas
Após vencer a primeira luta entre eles, Jones estava escalado para encarar novamente Cormier no UFC 200, um dos maiores eventos da história da organização. Contudo, ele foi obrigado a se retirar às vésperas da disputa após ter sido flagrado no exame antidoping – Diego Ribas
Como ponto positivo, vale lembrar que, em 2012, Jones teve um de seus maiores desafios no octógono. Ele venceu Rashad Evans, ex-campeão e seu antigo parceiro de treinos, no primeiro duelo que exigiu demais de seu lado emocional e preparo psicológico para a disputa - Reprodução
Naquele mesmo ano, Jones passou por um dos momentos de maior perigo em sua carreira dentro do octógono. Em seu combate contra Vitor Belfort, ele quase foi finalizado com uma justa chave de braço, mas conseguiu escapar e venceu também com finalização (americana) - Reprodução/ site UFC
Por fim, como não lembrar da luta mais dura da carreira de 'Bones'? Diante de Alexander Gustafsson, atleta que mais chegou perto de vencê-lo em uma batalha histórica, o americano se provou novamente e saiu vencedor por decisão unânime. Na ocasião, ao enfrentar um atleta do seu tamanho, Jones não teve grande vantagem de envergadura e sofreu para encontrar a distância para acertar o rival - Reprodução\ site UFC

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *