Paulo ‘Borrachinha’ se oferece para dar surra em atleta transsexual: “Luto de graça”

Paulo ‘Borrachinha’ se ofereceu para lutar com atleta transexual – Diego Ribas

Paulo Henrique ‘Borrachinha’ não sobe ao octógono desde a sua vitória sobre Johny Hendricks, no UFC 217 – evento que aconteceu em novembro passado, em Nova York (EUA). Contudo, o brasileiro se envolveu em recente polêmica fora do cage ao desafiar uma atleta transexual e garantir que a enfrentaria “de graça”. A provocação foi feita em um vídeo publicado na página oficial do lutador no Facebook, onde ele pede por leis mais rígidas para que competidores como a americana Fallon Fox não possa lutar com mulheres.

A americana fez a cirurgia de mudança de sexo em 2006, na Tailândia, mas antes de realizar o procedimento ela serviu à marinha dos Estados Unidos e trabalhou dirigindo caminhões. Ainda nesse período, a lutadora foi casada e teve uma filha. Anos mais tarde, após passar pela cirurgia e terapia hormonal, Fallon fez a sua estreia como profissional de MMA na divisão peso-pena (66 kg), em 2012.

Entretanto, para Borrachinha, o fato de Fallon lutar em uma categoria feminina é injusto com as outras competidoras devido à “complexidade física, óssea, muscular de um homem ser completamente diferente da estrutura de uma mulher”. De acordo com o atleta do UFC, o fato da americana ter passado por uma cirurgia de mudança de sexo não altera a sua estrutura física. Por isso, para acabar com essas atitudes “inaceitáveis” da profissional de MMA e dos promotores dos eventos em que atuou, o brasileiro pediu que os deputados criassem um projeto de lei para “proteger as mulheres esportistas” e se ofereceu “para lutar com ele de graça, em qualquer lugar”.

“Ele nasceu homem, e é um homem, apesar de se denominar transexual. Ele tem feito uma covardia absurda, não só ele, mas também os promotores desse evento que aceitaram esse tipo de absurdo. Ele tem simplesmente aniquilado as meninas que tem lutado contra ele. Massacrado, colocado a vida delas em risco, colocado a integridade física delas em risco. Não quero entrar no mérito da escolha dele, de ser transexual ou não, homossexual ou não. O que acontece aqui é: um homem lutando contra meninas, contra mulheres, como se fosse uma. Isso é um absurdo, que não pode ser aceitado”, afirmou no vídeo.

Vale ressaltar que a última luta profissional de Fallon foi em setembro de 2014. ‘The Queen of Swords’ acumula em seu cartel uma derrota e cinco vitórias, sendo que todas foram por nocaute ou finalização. Apesar disso, o brasileiro ainda defendeu que a atleta deve enfrentar “um lutador, um homem, para dar uma surra nele”.

Assista ao vídeo publicado por Borrachinha abaixo ou clique

2 comentáriosDeixar comentário

  • Cara é um absurdo o que está acontecendo no mundo, esse lance de “gênero de sexo” é algo surreal que os “moderninhos” defendem! Pra mim só existe Macho e Fêmea , o resto é GAMBIARRA!!! KKKKKKKKKKKKKKKKKK

  • Esta coberto de razão, é simplesmente uma covardia, não deveriam permitir, e as mulheres não entrarem no ringue com ele. Outro caso que não concordo, apesar que toma medicamentos para inibir o testoterona é da jogadora de volei do Bauru Tifany.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *