Nick Diaz afirma que foi envenenado antes de luta contra Georges St-Pierre no UFC

Nick Diaz não vence uma luta profissional desde 2011 – Divulgação/UFC

Nick Diaz não faz uma luta de MMA desde janeiro de 2015, mas continua ‘causando’ dentro e fora do octógono. Em entrevista ao site ‘TMZ’, o peso-meio-médio (77 kg) disse ser contra um eventual combate entre seu irmão mais novo, Nate, e Georges St-Pierre. Para justificar seu posicionamento, Nick afirmou que foi envenenado antes do duelo contra ‘GSP’, em 2013.

Os dois se enfrentaram no UFC 158, e o canadense dominou o confronto, vencendo por triplo 50-45 na decisão dos juízes. Apesar de St-Pierre ter sido apontado como favorito desde muito antes da luta, Diaz creditou a derrota a uma suposta contaminação proposital do soro intravenoso, que, à época, era utilizado para repor o líquido perdido após a pesagem. Tal prática passou a ser proibida pela USADA (Agência Antidoping Americana) ainda em 2015.

O mais velho dos irmãos Diaz prometeu “dar um backhand slap [tapa com as costas da mão]” em quem tentar fazer a luta entre Nate e GSP. “No fim das contas, eu lutei contra o cara [St-Pierre], e eles envenenaram meu soro com algum tipo de droga. Me colocaram para dormir! Tenho 37 lutas, lutei por 17 anos, e nunca dormi mais de cinco ou seis horas por noite. Dormi 14 horas. É tipo: ‘O que você botou no meu intravenoso, cara?’ Eu nunca tomei nada além de soro. E tinha alguma coisa errada nas ataduras dele”, acusou.

“Eu estava sem saída. Eu estava na melhor forma da minha vida. Tudo estava estranho. Sem desrespeito, não acho que Georges fez algo. Eu acho que as pessoas estavam tentando fazer algo”, completou.

Nick não vence um combate desde 2011, quando derrotou o ex-campeão BJ Penn. De lá para cá, o americano fez apenas três lutas: derrotas para Carlos Condit, St-Pierre e Anderson Silva — esta última, porém, foi transformada em no contest após o flagra no exame antidoping do brasileiro.

Na mesma ocasião, Diaz também testou positivo no exame, mas para o princípio ativo da maconha. Atualmente, o lutador acaba de cumprir suspensão de um ano que foi gerada após o atleta não enviar a atualização de suas informações para a USADA.

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *