Manuwa contesta retorno de Jon Jones em luta pelo título do UFC: “Eu mereço”

Jimi Manuwa - Ag Fight

Jimi Manuwa é o terceiro colocado do ranking dos meio-pesados (93 kg) do UFC – Florian Sädler

Os rumores de que Jon Jones, atleta que está suspenso até julho deste ano por ter sido flagrado no exame antidoping, retornará aos octógonos em uma disputa pelo cinturão dos meio-pesados (93 kg) contra Daniel Cormier ganharam força essa semana com o discurso de Dana White, presidente do UFC. O cartola sugeriu que os dois se enfrentassem no dia 29 de julho, o que não foi bem visto por outro atleta da categoria. Por isso, Jimi Manuwa não escondeu sua insatisfação com a possibilidade de ‘Bones’ furar sua fila como desafiante ao título e se garantiu como o real merecedor da oportunidade.

Em entrevista podcast ‘Five Rounds’, o atual terceiro colocado no ranking dos meios-pesados do UFC analisou que, além de não querer ser deixado de lado, uma luta de Jones contra Cormier seria uma má decisão tomada pelo ex-campeão. Para justificar seu ponto de vista, o inglês pontuou que o ex-campeão está inativo desde abril de 2016, e que por isso precisaria de mais uma luta – no intuito de recuperar sua forma física – antes da disputa pelo cinturão.

“Eu não queria que [Jon Jones] meio que furasse a fila [da disputa de cinturão]. Venho trabalhando duro, nocauteando as pessoas. Acredito que eu mereço a chance pelo título. Ele [Jones] é o melhor da história, mas está fora a um ou dois anos. Ele precisa de uma luta de aquecimento e sabe disso. Isso irá me incomodar, mas no final das contas não definirá o que irei fazer. Tenho opções”, relatou.

O cartel recente de Jimi Manuwa ajuda a comprovar o fato de que ele é um dos competidores que mais merecem uma chance pelo cinturão dos meio-pesados. Aos 37 anos, o inglês acumula duas vitórias por nocaute sobre Corey Anderson e Ovince Saint Preux no Ultimate.

Anderson Silva estava confirmado no UFC Rio, evento que será realizado no próximo mês de junho, até o doping de Kelvin Gastellum, adversário que testou positivo para maconha e deixou o card. Desde então o Ultimate está a procura de um substituto para o americano, mas está complicado. Alguns lutadores recusaram o convite, o que fez a Ag. Fight te mostrar outros dez competidores que também são temidos e enfrentam dificuldades para conseguir duelos
Ex-campeão peso-pesado do UFC, Júnior 'Cigano' recentemente viveu um calvário para encontrar um adversário. Após a lesão de Stefan Struve, oponente que enfrentaria anteriormente, o brasileiro teve seu nome negado por alguns atletas, entre eles seu rival Fabrício Werdum. No entanto, ele foi recompensado e disputará o cinturão contra Stipe Miocic - Erik Engelhart
Robbie Lawler se caracterizou como um dos lutadores mais sanguinários do UFC, título que foi dado em virtude das guerras que protagonizou dentro do octógono. Ele é ex-campeão meio-médio (77 kg), e desde que perdeu o título, ainda em julho de 2016, e detém o posto de um dos atletas mais temidos do UFC - Diego Ribas
Com um jiu-jitsu primoroso e golpes potentes na trocação, Ronaldo 'Jacaré' é um dos atletas mais temidos na divisão dos médios (84 kg). Em virtude disso, o brasileiro sofre para encontrar adversário ranqueados dispostos a lhe enfrentar, inclusive Michael Bisping, campeão da categoria - Diego Ribas
Invicta desde 2005, Cris 'Cyborg' ostenta o posto de lutadora mais temida do mundo na atualidade. A brasileira é ex-campeã do Invicta e recentemente viu Germaine de Randamie, a detentora do título peso-pena (66 kg) do UFC, evitar enfrentá-la, mas no fim parece que o duelo vai ocorrer - Felipe Castello Branco
Yoel Romero é outro que também é deixado de lado por seus adversários. Mas também não é para menos, já que o cubano ainda não perdeu no UFC e acumula vitórias sobre alguns dos maiores nomes de sua categoria – Ronaldo 'Jacaré' e Chris Weidman -, a peso-médio (84 kg) - Diego Ribas
Apesar de sua recente aposentadoria, Anthony Johnson foi considerado um dos atletas com os socos mais potentes do UFC. O americano de 1,93 metro chegou a competir na categoria dos médios antes de escrever seu nome na dos meio-pesados (93 kg) e disputar o título duas vezes. Em suas últimas vitórias, os nocautes prevalecem - Diego Ribas
Primeira brasileira a disputar o cinturão peso-palha (52 kg) do UFC, Cláudia Gadelha e seu jiu-jitsu apurado são temidos por grande parte das atletas de sua divisão, já que, após sua última disputa de cinturão, encontrou dificuldades para achar um adversária ranqueada disposta a enfrentá-la - Marcel Alcântara
Apesar de vir de duas derrotas, Carlos Condit também é um dos atletas que encontram dificuldades para encontrar oponentes. Isso porque o estilo de luta do americano é agressivo e normalmente traz muitos perigos para seus adversários - Diego Ribas
Fechando a lista, ninguém menos do que Khabib Nurmagomedov. Invicto como profissional em sua carreira no MMA, o russo é o típico adversário evitado pelos atletas da divisão dos leves (70 kg). Seu estilo de luta pragmático normalmente anula o jogo de seus adversários, o que explica a razão de ser tão preterido - Diego Ribas

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *