Lutador do UFC culpa maconha por problemas no coração

Diego Sanchez foi campeão do TUF em 2005 – Rigel Salazar

Liberada pelo Ultimate para uso durante períodos fora de competição, a maconha é uma droga utilizada por alguns atletas da companhia. Mas nem todos se dão bem com a erva, como foi o caso de Diego Sanchez. E o americano descobriu isso da pior forma: durante um treino em que estava sob o efeito da marijuana, o lutador sentiu dores no coração e culpou a droga.

Durante uma entrevista ao programa ‘The MMA Hour’ na última segunda-feira (17), Sanchez contou que chegou a deitar no chão ao passar mal no meio da academia achando que ia morrer. E, de acordo com o peso-leve (70 kg), a culpa de seu mal-estar foi da maconha.

“Eu cai no chão e imediatamente senti algo dentro do meu coração. Não era algo como uma lesão muscular. Era algo interno… Eu simplesmente permaneci deitado e pensei: ‘já deu por essa semana’. No momento em que eu deitei na academia, eu soube instantaneamente que era por causa da maconha medicinal”, declarou.

“O que quer que tenha acontecido, foi sério. Eu podia sentir alguma coisa acontecendo, fiquei com muito, muito medo de que se meus batimentos voltassem a subir eu poderia morrer ou algo do tipo”, completou.

Após conviver com as dores por alguns dias, o atleta visitou um médico que constatou que seus problemas eram musculares e que seu coração está perfeito. Mesmo assim, apesar do diagnóstico, Sanchez parece convicto de que a maconha está envolvida na história.

“Meus pulmões estavam sendo afetados. […] Eu ainda estava experimentando com a maconha medicinal… Usei, gostei, mas peguei meus remédios medicinais. Não estou julgando, apenas estou dizendo que maconha medicinal não é para todos e não é para mim”, finalizou.

Anderson Silva estava confirmado no UFC Rio, evento que será realizado no próximo mês de junho, até o doping de Kelvin Gastellum, adversário que testou positivo para maconha e deixou o card. Desde então o Ultimate está a procura de um substituto para o americano, mas está complicado. Alguns lutadores recusaram o convite, o que fez a Ag. Fight te mostrar outros dez competidores que também são temidos e enfrentam dificuldades para conseguir duelos
Ex-campeão peso-pesado do UFC, Júnior 'Cigano' recentemente viveu um calvário para encontrar um adversário. Após a lesão de Stefan Struve, oponente que enfrentaria anteriormente, o brasileiro teve seu nome negado por alguns atletas, entre eles seu rival Fabrício Werdum. No entanto, ele foi recompensado e disputará o cinturão contra Stipe Miocic - Erik Engelhart
Robbie Lawler se caracterizou como um dos lutadores mais sanguinários do UFC, título que foi dado em virtude das guerras que protagonizou dentro do octógono. Ele é ex-campeão meio-médio (77 kg), e desde que perdeu o título, ainda em julho de 2016, e detém o posto de um dos atletas mais temidos do UFC - Diego Ribas
Com um jiu-jitsu primoroso e golpes potentes na trocação, Ronaldo 'Jacaré' é um dos atletas mais temidos na divisão dos médios (84 kg). Em virtude disso, o brasileiro sofre para encontrar adversário ranqueados dispostos a lhe enfrentar, inclusive Michael Bisping, campeão da categoria - Diego Ribas
Invicta desde 2005, Cris 'Cyborg' ostenta o posto de lutadora mais temida do mundo na atualidade. A brasileira é ex-campeã do Invicta e recentemente viu Germaine de Randamie, a detentora do título peso-pena (66 kg) do UFC, evitar enfrentá-la, mas no fim parece que o duelo vai ocorrer - Felipe Castello Branco
Yoel Romero é outro que também é deixado de lado por seus adversários. Mas também não é para menos, já que o cubano ainda não perdeu no UFC e acumula vitórias sobre alguns dos maiores nomes de sua categoria – Ronaldo 'Jacaré' e Chris Weidman -, a peso-médio (84 kg) - Diego Ribas
Apesar de sua recente aposentadoria, Anthony Johnson foi considerado um dos atletas com os socos mais potentes do UFC. O americano de 1,93 metro chegou a competir na categoria dos médios antes de escrever seu nome na dos meio-pesados (93 kg) e disputar o título duas vezes. Em suas últimas vitórias, os nocautes prevalecem - Diego Ribas
Primeira brasileira a disputar o cinturão peso-palha (52 kg) do UFC, Cláudia Gadelha e seu jiu-jitsu apurado são temidos por grande parte das atletas de sua divisão, já que, após sua última disputa de cinturão, encontrou dificuldades para achar um adversária ranqueada disposta a enfrentá-la - Marcel Alcântara
Apesar de vir de duas derrotas, Carlos Condit também é um dos atletas que encontram dificuldades para encontrar oponentes. Isso porque o estilo de luta do americano é agressivo e normalmente traz muitos perigos para seus adversários - Diego Ribas
Fechando a lista, ninguém menos do que Khabib Nurmagomedov. Invicto como profissional em sua carreira no MMA, o russo é o típico adversário evitado pelos atletas da divisão dos leves (70 kg). Seu estilo de luta pragmático normalmente anula o jogo de seus adversários, o que explica a razão de ser tão preterido - Diego Ribas

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *