Ex-lutador do UFC volta ao exército para lutar na guerra da Síria

Tim Kennedy se aposentou do MMA em dezembro de 2016 – Reprodução/ Facebook

Ex-lutador do UFC, Tim Kennedy anunciou sua aposentadoria do esporte em dezembro do ano passado e, sem perder tempo, já se realistou ao exército americano para entrar em guerra contra o Estado islâmico na Síria. A informação foi confirmada pelo próprio veterano em programa de TV do canal Fox nos EUA.

Sargento de primeira classe do exército americano, Kennedy, sniper de renome nos EUA, serviu nas guerras do Iraque e Afeganistão antes de ter sucesso como lutador de MMA. Intercalando seus camps para combates com missões de caça de foragidos ao redor do mundo (sim, ele era um caçador de recompensas), o americano decidiu voltar ao combate após a notícia de que o governo americano intensificou os bombardeios na Síria.

“Pulei de um helicóptero na semana passada, levantei minha mão e jurei proteger a constituição. Tenho pessoas comigo e estamos aqui para trabalhar e vencer uma guerra que estamos lutando por 16 anos. E isso está prestes a mudar”, narrou o veterano do exército e do MMA.

Ativo em redes sociais e um rosto famoso por seus combates no UFC, Kennedy se tornou alvo de ameaças do Estado Islâmico, grupo terrorista que governa parte do Iraque e da Síria. Comparando a situação de medo e apreensão do mundo com o desenrolar desta batalha com o pavor gerado pela Segunda Guerra Mundial, o ex-atleta afirmou que é hora de colocar um basta neste cenário.

“É similar. Essas pessoas são radiciais, e eles vão usar tudo o que puderem, qualquer arma para machucar tudo o que amamos. Temos que ficar unidos e lutar. Você não pode jogar gays de prédios, você não pode afogar pessoas. Você não pode”, narrou.

“Eles são um bando de covardes, humanos patéticos. Não tem nada similar com o que nós valorizamos, como vida humana. Eles atacam os fracos, a quem a gente protege. Não entendo como existimos na mesma espécie. E se eles atacam um dos meus irmãos, eles têm que saber que a maior bomba já feita é a menor das preocupações deles”.

O objetivo de todo lutador de MMA é um dia conquistar um cinturão e se consagrar como um dos campeões do esporte. No entanto, muitos atletas passam suas carreiras inteiras sem ter a oportunidade de disputar um título em um torneio de grande porte - como o UFC, Bellator, Pride, Strikeforce, WEC e Invicta FC - ou acabam desperdiçando a chance quando o title-shot aparece. Confira dez veteranos que bateram na trave e nunca conquistaram um cinturão nos maiores torneios de artes marciais mistas do planeta - Divulgação/UFC
Aos 39 anos de idade, Demian Maia vive o melhor momento da carreira e flerta com a possibilidade de disputar o cinturão dos meio-médios (77 kg) do UFC. Em 2010, o especialista na arte suave enfrentou Anderson Silva pelo título dos médios (84 kg) mas acabou superado por pontos - Felipe Castello Branco
Medalhista de prata em luta livre nos Jogos Olímpicos de 2000 realizados na Austrália, Yoel Romero está invicto desde que foi contratado pelo UFC em 2013, tendo vencido todos os oito combates que disputou. Atualmente, o cubano de 39 anos de idade espera a sua chance de disputar o título dos pesos-médios (84 kg) do Ultimate - Diego Ribas
Irmão gêmeo da lenda do MMA Rodrigo 'Minotauro', Rogério 'Minotouro' está no esporte há mais de 15 anos e nunca teve a oportunidade de disputar um cinturão. Aos 40 anos de idade, meio-pesado (93 kg) do UFC não vive boa fase e perdeu três das últimas quatro lutas que disputou - Felipe Castello Branco
Aos 43 anos de idade, Mark Hunt é o lutador mais velho a figurar em um ranking do UFC atualmente. Em 2006, o neozelandês disputou o cinturão dos pesos-pesados do Pride com Fedor Emelianenko, mas acabou finalizado pelo russo. No UFC, o ex-campeão do K-1 enfrentou Fabrício Werdum pelo título interino dos pesados e foi nocauteado pelo brasileiro - Diego Ribas
Exímio lutador de boxe, Glover Teixeira chegou a acumular 20 vitórias consecutivas antes de encarar Jon Jones pelo cinturão dos meio-pesados (93 kg) do UFC em 2014. Derrotado pelo americano, o mineiro de 37 anos de idade busca se reafirmar na categoria para tentar disputar o título novamente - Diego Ribas
Aos 37 anos de idade, Antônio 'Pezão' vive a pior fase da carreira com sete derrotas nas suas últimas nove lutas. Contudo, o veterano já esteve em alta quando disputou o cinturão dos pesados do UFC contra Cain Velasquez em 2013. O brasileiro foi nocauteado pelo americano - Felipe Castello Branco
Medalhista de prata nos Jogos de Atenas (Grécia) em 2004 na luta olímpica, Sara McMann disputou o cinturão dos pesos-galos (61 kg) do UFC em 2014, mas foi nocauteada por Ronda Rousey. Aos 36 anos de idade, a americana vive boa fase e venceu as últimas três lutas que disputou - Diego Ribas
Ex-campeão mundial de jiu-jitsu, Gabriel 'Napão' ganhou a chance de disputar o cinturão dos pesos-pesados do UFC após nocautear de forma avassaladora Mirko 'Cro Cop' em 2007. Contudo, o brasileiro foi superado por Randy Couture e não teve mais oportunidade de disputar um título. Aos 37 anos de idade, o especialista na arte suave vive péssima fase e venceu apenas uma das últimas cinco lutas que disputou - Diego Ribas
Ex-jogador de futebol americano na NFL, Matt Mitrione começou a disputar MMA em 2009 e, apesar de nunca ter disputado um título na carreira, o lutador terá pela frente o maior desafio da carreira. Aos 38 anos de idade, o veterano enfrentará ninguém menos que Fedor Emelianenko em junho próximo - Divulgação
Lutador de MMA profissional desde 2006, Tim Boetsch nunca teve a oportunidade de disputar um título em sua carreira. Aos 36 anos de idade, o americano foi finalizado por Ronaldo 'Jacaré' em fevereiro passado e, atualmente, ocupa a 15ª posição no ranking dos pesos-médios (84 kg) do UFC - Divulgação

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *