Cormier ironiza doping de Jon Jones:”Meu pênis funciona”

Atual campeão dos meio-pesados (93 kg) do UFC, Daniel Cormier parece obcecado em derrotar Jon Jones, único rival a vencê-lo no octógono, tanto que não perde uma oportunidade de criticar o rival com quem medirá forças no próximo sábado (29). E desta vez ele ironizou até mesmo o flagra no doping de ‘Bones’.

Em vídeo divulgado pelo canal do UFC no primeiro episódio da série Embedded, que retrata os dias dos lutadores antes de suas lutas, Comier aparece na academia ao lado de seus parceiros de treino e enquanto relaxa sua musculatura ironiza as provocações do rival quanto ao seu corpo barrigudo.

“O Jon Jones vive falando do meu corpo. Mas se ele fosse querer falar de alguém, deveria falar de alguém como ele. ele deveria ser como Jake. Grande, grande peitoral e grandes pernas. [risos]. Posso ser gorda, posso não ter um abdômen trincado, mas meu pênis funciona. Meu pênis funciona [risos]”, ironizou o veterano.

A provocação é uma mensagem direta ao caso de doping de Jon Jones. Retirado do card do UFC 200, em julho de 2016, Jones alegou que o resultado positivo foi causado pelo uso de um estimulante sexual às vésperas de da luta.

Donos de uma das maiores rivalidades do MMA atualmente, Jon Jones e Daniel Cormier farão uma revanche pelo cinturão dos meio-pesados (93 kg) do UFC no próximo sábado (29). Antes deles, outros grandes conflitos também marcaram as artes marciais mistas. E, como sempre, atraindo grandes públicos para os combates. Confira - Diego Ribas
Quase todo fã de MMA ainda espera pela trilogia entre Nate Diaz e Conor McGregor. Com uma vitória para cada lado, a rivalidade entre os atuais pesos-leves (70 kg), marcada por inúmeras provocações e até brigas em coletivas, agitou o mundo da luta em 2016 - Rigel Salazar
Wanderlei Silva e Chael Sonnen protagonizam uma das grandes rivalidades do esporte desde quando eles se desentenderam nas gravações do TUF Brasil 3 e chegaram às vias de fato. Contudo, os atletas foram se enfrentar no octógono somente quatro anos depois, no último dia 24 de junho, quando o americano venceuo brasileiro por decisão unânime dos juízes - Divulgação
Durante um período de pouco mais de dois anos, Tito Ortiz e Chuck Liddell se enfrentaram em duas oportunidades. Em ambas as lutas, o 'Homem de Gelo' saiu com a vitória por nocaute - Reprodução/Instagram
Ronda Rousey e Miesha Tate protagonizaram uma das maiores rivalidades da história do MMA feminino. As atletas se enfrentaram em duas oportunidades - uma valendo o cinturão do Strikeforce e a outra o título do UFC. Nas duas, vitória de 'Rowdy' por finalização - Divulgação/UFC
Campeão peso-pena (66 kg) do UFC, José Aldo travou uma batalha de nervos por cerca de um ano com Conor McGregor antes deles se enfrentarem. No fim, o brasileiro acabou nocauteado em 13s, perdeu o cinturão e a invencibilidade de quase uma década. Até hoje, o 'Campeão do Povo' ainda busca a sua revanche contra o irlandês - Diego Ribas
A rivalidade entre Urijah Faber e Dominick Cruz foi uma das maiores entre as categorias mais leves do MMA. Após o 'California Kid' garantir a primeira derrota da carreira do 'The Dominator', o ex-campeão do UFC devolveu o revés com duas vitórias - ambas valendo o cinturão do Ultimate - Divulgação/UFC
Luke Rockhold e Michael Bisping claramente não se gostam. Os pesos-médios (84 kg) se enfrentaram pela primeira vez em 2014, quando o americano finalizou o britânico. Dois anos depois, o inglês nocauteou o rival para conquistar o cinturão e apimentar ainda mais a rivalidade entre eles - Diego Ribas
A rivalidade entre Royce Gracie e Ken Shamrock começou há mais de 20 anos, em 1993, no primeiro UFC da história. Com um mata-leão, o brasileiro derrotou o americano com menos de um minuto de luta. Menos de dois anos depois, os atletas voltaram a se enfrentar e empataram depois de 36 minutos de luta. O último duelo entre os lutadores aconteceu em fevereiro de 2016 e o especialista na arte suave saiu mais uma vez vitorioso - Divulgação
Lutadora profissional desde 2008, Claudia Gadelha sofreu apenas duas derrotas na carreira - as duas para Joanna Jedrzejczyk. Consideradas as duas melhores atletas da categoria peso-palha (52 kg) do UFC, as lutadores protagonizaram dois intensos combates - Rigel Salazar
Durante o curto período em que esteve no UFC, Brock Lesnar conseguiu criar uma rivalidade com Frank Mir, com quem dividiu o octógono em duas oportunidades. Com uma vitória para cada lado, uma trilogia entre os pesos-pesados seria um grande presente para os fãs. Infelizmente, com ambos os atletas suspensos por doping, essa terceira luta dificilmente sairá do papel um dia - Diego Ribas
Os problemas entre Jon Jones e Rashad Evans começaram em 2011, quando os meio-pesados (93 kg) ainda treinavam juntos. Escalado para encarar o então campeão Maurício 'Shogun', 'Suga' se lesionou e acabou susbtituído por 'Bones' que, eventualmente, conquistou o cinturão. Indignado com a 'furada de fila' do companheiro, o americano abandonou a equipe. Um ano depois, os atletas se enfrentaram no cage e Jones levou a melhor na decisão dos juízes - Divulgação/UFC

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *